28
Dez
10

Fome

Famintos digladiam

Em filas intermináveis

São apenas saliva

Por pão e sal.

 

Despossuídos espremem-se

Nas montanhas de corpos e braços

Sob toldos e pontes.

 

Desesperados e imersos

Em sua solidão de homem

Lutam por dedos de veludos

Com socos e palavras bonitas.

 

Anúncios
11
Nov
10

-Bálsamo

-Bálsamo

 

Velhos amedrontados

Embalsamados com suas bíblias

Cruzam aos prantos

Suas últimas ruas.

Ao peito carregam terços e superstições

Buscando abrigo

De medos e sonhos engessados.

Repetem palavras amarelas e muitas

Ecos de um tempo já sepultado.



23
Set
10

Aos sonhos

Aos sonhos juntos.

Seus pés retorcem-se

Dóceis, infantis, agitados.

Entre um suspiro e outro-

Embora calados- murmuram

Impacientes e sonolentos

Do seu choro (sempre doce)

Aos seus beijos, ora sangrados.

02
Set
10

-Servil

Infâmia:

Querer-me rei.

Não almejarei grandes fortunas.

Poupo Salomão,

Não lhe furtarei todo ouro.

Outros que pilhem

Matem e traiam

Por um punhado de prata.

Do trono,abdico.

Não degolarei minha parceira,
Nem serei bruto com as companhias.

Se salvo e alegro-os,

Ganho meu dia.

19
Ago
10

#1

Dois adormecem

Só um parte ambos.

Em sua nova cabeça

Não cabe a velha coroa

O tempo devora até o

Mais puro ouro.

11
Jul
10

Sacrifício

Sangue à amada:

Meu peito em oferta tribal.

Suor ao trabalho:

Ao verso e à terra.

Lágrimas pelas coisas

Que agora são e

Em breve já não serão.

13
Jun
10

-Gestos

-Gestos

O mundo acaba e começa

Naquele seu ajeitar de cabelos

Suspensos e suaves atrás das orelhas.

Por isso tudo acaba:

Casa, casamento, União.

Só por aquele sorriso

Promissor de alvoradas.

Por isso começa-se

A compor músicas,

Escrever romances e
Até levantar pesos.

Por aquele relance

Sublime de olhar.

Foi por isso

Que João morreu

Nas mãos de Luis.

Por aquele carinho

Com dedos que fiavam

Amarga inveja nos homens.